A volta da estética Y2K

Tivemos a onda retrô, tivemos a onda futurista e agora temos (de novo!) uma onda que une os dois: a estética retrofuturista Y2K. Parece algo novo, mas você conhece mais do que imagina. Estamos falando de uma estética que surgiu na virada do milênio, no ano 2000 (Year 2 thousand). Feche os olhos e faça um rápido exercício de memória. Como era o seu quarto nos anos 2000? Como as pessoas se vestiam? Quais eram os filmes mais populares, as bandas mais populares? Como eram as embalagens, as capas de CD…? A resposta para quase todas as perguntas é muita cor, muito movimento, muitos elementos, uma verdadeira bagunça visual.

Geralmente, quando mudamos de uma moda para outra, achamos que a anterior era extremamente datada, às vezes até feia e cafona, e que nunca mais vamos voltar a explorar isso. Quase sempre essa percepção é equivocada, porque vivemos em eternos ciclos, com adaptações sutis para condizer com o momento atual.

 

Como perceber a estética Y2K?

Neon em tudo.

Letras em neon, elementos em neon, fundos em neon. Não trabalhamos com detalhes coloridos, trabalhamos com todas as cores estourando! As antigas presilhas de cabelo coloridas, sombras de olho neon, os pôsteres para fins de marketing. Já mencionamos neon?

Volume, quantidade, 3D.

Trabalhos sempre com profundidade, as fontes de propaganda são em 3D, as fotografias são recortadas em cima de fundos coloridos, sem qualquer preocupação com parecer algo real. Voltamos à estética de unir mundo real com digital, mas de forma que fique muito claro, não há pretensão de passar a ideia de que as produções gráficas são reais.

Sensação de nostalgia.

A ideia é apelar a dois públicos ao mesmo tempo: os millennials e a geração Z. Para o primeiro é a sensação direta de evocar um passado mais simples. Ao segundo, é como um movimento vintage, assim como os millennials quando pensam nos anos 80.

Texturas.

Textura de água, de plástico, de bolha, de artigos de informática… afinal, o futuro era entendido visualmente nos anos 2000 como tudo que se relacionava a hardware: placas, fios e conexões.

E, por fim, uma alusão a todas as tecnologias da época. CDs, celulares que abriam, televisões de tubo, computadores grandes.

Os anos 2000 se traduzem, para toda uma geração, como a época feliz e tranquila da infância e adolescência. Como essa é a geração que atualmente predomina no mercado de trabalho, é natural esperar alguma alusão ao próprio passado. Nas gerações mais novas, a estética Y2K já está bastante firme, inclusive na música. O pop punk está novamente viralizando, com artistas como Olivia Rodrigo. A moda também está trazendo diversos elementos Y2K, como a minissaia e a roupa metalizada. Como toda a equipe do Studio Venturas viveu a sua infância durante os anos 2000, está sendo pessoalmente divertido trazer novamente esses elementos para os nossos trabalhos.